Segundo informações, uma enfermeira e uma auxiliar de enfermagem são suspeitas de falsificar atestados médicos, inclusive receitas de medicamentos. Mas uma operação deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) está investigando as denúncias.
 
Para falar sobre o assunto, o Revista Brasília convida o presidente da Associação Médica de Brasília (AMBr), Luciano Carvalho, que demonstra preocupação com o tema. “Nós entendemos que qualquer falsificação, qualquer burla, qualquer contravenção tem que ser investigada e punidos os culpados. Isso é fundamental em todos os segmentos da sociedade . Mas uma preocupação que surge é  proteger os atestados verdadeiros, para que não se jogue tudo no mesmo bojo”, disse o médico.
 
Sobre o controle em relação aos atestados médicos, Carvalho afirma que, historicamente, a falsificação nunca foi destaque na prática da medicina e que isto tem se tornando comum, a partir de denúncias da mídia, se mostrando um caso preocupante que precisa ser repensando, de como emitir o atestado e como controlar sua veracidade.

 

fonte: http://radios.ebc.com.br/